CasaDecoraçãoMobiliárioQuarto

Móveis para quarto de bebê

Por 13 de janeiro de 2014 Sem comentários

Um novo morador está a caminho e parece que chegou a hora de transformar aquele escritório que tinha na sua casa, ou aquele quarto de visita, no quarto do bebê. A ansiedade toma conta, as dúvidas vão chegando, e agora? Há quem diga que até as mamães ficam com mania de arrumação, pelo simples instinto de “arrumar o ninho” para a chegada do seu bebê.

O que comprar? De que cor pintar? Quanto gastar? Acalme-se. A primeira providência a se tomar é decidir os tipos de móveis que você vai comprar, se serão mais modernos, mais clássicos… Aqui vale uma pesquisa prévia para que você apure o seu gosto. Contudo, certifique-se, antes de investir, se você não vai poder “herdar” móveis de alguém próximo a você, já que isso é bem comum e é uma mão na roda.



Seja realista com o espaço que tem, tire as medidas do quarto, incluindo as das paredes da janela e de armários. Não se esqueça de considerar espaço para abrir as portas de armário. É bastante importante e útil conversar com alguém que já passou por isso e possa dar palpites sobre o que usou de fato e o que comprou.

quarto-bebê-1




foto: Baby Bedding

Cabe lembrar que o melhor para o seu bebê é ficar num ambiente arejado e tranquilo: excesso de informação (enfeites e móveis) podem atravancar o local. Portanto, para a escolha, tire medidas do quarto e dos móveis, faça, é claro, uma pesquisa de preços e não deixe, se possível, de conferir ao vivo produtos que, por acaso, tenha visto na Internet.

quarto-bebê-2

foto: Elephants & Owls

NÃO DEIXE TUDO PARA A ÚLTIMA HORA! Lembre-se que cheiros de tinta ou cola podem provocar alergias e mal-estar.

quarto-bebê-3

foto: Lucia Tacla

O básico, para um quarto de bebê, são o berço, cômoda, cadeira ou poltrona para amamentar e mesa de apoio. É claro que, dependendo do tamanho do ambiente, você pode acrescentar mais móveis, mas, como já dissemos anteriormente, não vale a pena enchê-lo demais, uma vez que os quartos para bebês precisam ser arejados e fáceis de limpar.

1. O Berço

O berço vai ser usado por dois anos, aproximadamente, até que a criança esteja grande o suficiente para mudar para uma cama de verdade. Há quem utilize a mini-cama como intermediária entre o berço e a cama. Na minha opinião, é um desperdício de dinheiro.

quarto-bebê-4

foto: Anita Roll

Vale lembrar que você deve se atentar para a distância entre as grades do berço, para que não haja perigo da cabecinha, ombros ou mãos do seu bebê ficarem presas ali. Assim como o espaço entre o estrado e a lateral do berço.

quarto-bebê-5

foto: Baby Bedding

Se o quarto do bebê for pequeno, procure modelos de berço que já tenham acoplado o trocador e algumas gavetas. Assim, você poderá abrir mão de uma cômoda. Há, também, modelos de berços que se transformam em mini-camas, o que estende a vida útil do seu berço por mais um tempo.

quarto-bebê-6

foto: JKA

Calcule o tamanho total do berço para que possa ficar posicionado de modo que você possa ficar de olho nele quando estiver passando pelo corredor.

2. A Cômoda

Eu não sei se você já fez as contas, mas há alguns dados que sugerem que, até seu filho completar 1 ano de vida, você terá trocado mais de 2.000 fraldas sujas. Só por aí, já dá para entender como um lugar que seja confortável para você e para ele é importante.

quarto-bebê-7

foto: Jayman

O legal é ter na cômoda algumas gavetas menores para as roupinhas, panos de boca e outros itens menores. Algumas mais largas para roupas de cama, mantinhas, toalhas e uma ou duas gavetas mais profundas para as fraldas descartáveis, malhas e casaquinhos mais grossos.

quarto-bebê-8

foto: House of Went Worth

Algumas mamães, especialmente as de meninas, gostam de ter uma portinha transparente na cômoda, para que fiquem à mostra os vestidinhos e os sapatinhos. Esse tipo de detalhe funciona bem para quem tem armário no quarto do bebê que pode guardar as outras coisas. No entanto, quando o espaço é um pouco mais restrito e precisa ser mais bem aproveitado para armazenar objetos não tão charmosos, como fraldas, remédios e lenços umedecidos, por exemplo, esse tipo de detalhe, como a portinha, parece não ser muito conveniente.

quarto-bebê-9

foto: Barden’s Decorating




É essencial que seja uma peça sólida e sem risco de virar em cima do bebê se ele se apoiar na cômoda, quando começar a engatinhar. É necessário, também, que seja pintada com tinta atóxica (caso você decida reformar alguma peça herdada) e que não tenha quinas pontudas demais, que possam machucar seu filho quando ele for um pouquinho maior.

Contudo, se os recursos estiverem apertados, você pode até trocar a fralda na sua cama. Não será 100% confortável para as costas, mas funciona. Deixe a cama bem protegida com um trocador impermeável ou algo do gênero e tenha à mão tudo que vai precisar para a limpeza do bebê.

Vale lembrar que, em caso de restrição de espaço e o quarto não comportar uma cômoda e uma cadeira para amamentar, dê prioridade à cômoda, que armazena tudo o que for do bebê e que precisa estar à mão. Afinal de contas, você consegue dar de mamar em outros lugares da casa.

3. A Poltrona ou Cadeira de balanço

quarto-bebê-10

foto: Houzz

As cadeiras de balanço costumam fazer sucesso com os bebês e as mamães, uma vez que todo aquele movimento do balanço é bastante agradável e ajuda o bebê a pegar no sono. Também são ótimas para acomodar papais ou mamães na hora de ler uma história, conforme o bebê já for maiorzinho.

quarto-bebê-11

foto: Rachel Reider

O ideal é que essas poltronas sejam forradas com um tecido fácil de limpar, como, por exemplo, o couro sintético ou natural, ou ter aplicação de um daqueles produtos para proteger o estofado. Por mais cuidadosos que os pais sejam, não tem jeito, a poltrona vai se sujar de leite, papinha, suco… Pense, também, em uma cor neutra para que, no futuro, se quiser, possa transferir a poltrona para outra parte da casa. Deixe o tecido decorativo para as almofadas.

4. A Mesa de apoio

A mesa de apoio de todos os móveis já citados é a mais fácil de ser suprimida, caso o espaço não seja amplo o suficiente para ela, contudo, não deixa de ser uma peça bastante útil! Afinal de contas, é importante ter um cantinho no quarto do bebê para colocar um abajur, um copo de água (amamentar dá sede), chupeta ou até uma mamadeira ou outra. Um lugar para apoiar qualquer coisa, quando se tem um neném nos braços, pode vir a ser bastante útil!

quarto-bebê-13

foto: Houzz – Valerie McCaskill Dickman

Uma dica legal para uma mesa dessas é comprar uma escrivaninha com linhas simples e clássicas, dessas que combinam com quase tudo. Ela pode vir a ser mais útil quando o seu filho começar a trazer deveres de casa. 😉

5. Cesto ou Moisés

Há algumas mamães que acham esse um item indispensável, mas outras já não acham tanto assim. Fica a critério de cada um. Eles podem ser de grande utilidade nos primeiros meses, uma vez que são bem aconchegantes e de fácil movimentação para qualquer lugar da casa, além de que podem servir como local para dormir, tanto de dia, quanto à noite.

quarto-bebê-14

foto: Jamie House Design

Vale lembrar que o cestinho precisa ser testado para ter certeza de que não tem risco de virar com o peso do bebê, caso ele role. Se você tem animais de estimação ou crianças que possam pular ou derrubar o cesto, é melhor não arriscar.

6. Tapetes e cortinas

Se você lembrar do sol que bate na janela do quarto do seu filho e que, em alguns meses, ele já estará engatinhando pelo chão da sua casa, o tapete e a cortina não parecem mais tão supérfluos assim, não é mesmo?

quarto-bebê-15

foto: Lori Gentile

Se as cortinas forem realmente necessárias, procure comprar as feitas com tecido fácil de lavar (como as de algodão) ou de limpar (as persianas de plástico ou metal), isso evitará o acumulo de pó.

quarto-bebê-16

foto: Merigo Design

O mesmo vale para o tapete, um tecido lavável. Mesmo que seja para você mandar lavar na lavanderia, mas que não fique feio depois de lavado. Tapetes antialérgicos são um bom investimento para quem pode gastar um pouco mais, assim como os antiderrapantes. Se você comprar um tapete que não seja antiderrapante, você tem duas opções, uma é prender as pontas dos tapetes debaixo dos móveis ou procure por fitas antiderrapantes em lojas de material de construção.

Dicas que valem ser lembradas

– Atenção às quinas pontiagudas!
– Prateleiras são ótimas opções para quartos de bebês. Servem como decoração, além de deixar objetos perigosos fora do alcance do pimpolho.
– Escolha bem as cores. Tons neutros são bastante tranquilizantes, mas lembre-se que cores mais fortes estimulam seu bebê!
– Se for escolher papel de parede para o quarto do bebê, escolha modelos que você possa limpar com água.
– Tenha em mente o espaço de circulação no quarto do seu filho. Tenha cuidado para não afetar a área livre do ambiente e impedir a passagem de carrinhos e andadores.
– NUNCA, em hipótese alguma, coloque o berço muito próximo à janela!



Compartilhe com um amigo