Decoração

Dicas para decorar a sua primeira casa

Por 15 de julho de 2015 Sem comentários

Então você resolveu sair da casa dos pais e foi morar sozinho. Ah, nossos vinte e poucos anos! Este post é perfeito para ajudar essa turma aí, que acabou de sair de casa e está super animada com a novidade, mas com a grana um pouco curta. Então, nós selecionamos dicas para você decorar a sua primeira casa e transformá-la em um lar!

Normalmente, até mesmo por causa da afobação, a nossa primeira casa nem sempre é a casa dos nossos sonhos, mas a casa dos sonhos do nosso orçamento (rsrsrs), seja alugando ou comprando. No geral, ela vai ser pequenininha, uma quitinete talvez, ou um pouco antiga, daquelas que precisam de um reparo aqui, outro ali. Portanto, antes de assinar qualquer contrato, pense no que você precisa, sem afobação. Leve em consideração alguns pontos, a saber:

1. Tamanho e distribuição dos cômodos

Veja se há uma boa distribuição interna, se os cômodos vão comportar todas as suas coisas. A ideia aqui é não pensar em reforma, uma vez que precisaremos guardar o nosso suado dinheirinho para outras prioridades. Considere analisar todos os seus pertences e pare para pensar o que realmente é necessário para o seu bem estar. A dica chave é aprender a viver com menos!

espaço legal

foto: Mark Ashby Design

2. Localização

Você tem carro? Anda de ônibus? Metrô? Caso você não tenha um carro, é quase imprescindível que sua casa fique perto dos pontos de transportes públicos, não é mesmo?

localização-home-office

foto: James Thomas

3. Alguns detalhes construtivos

Fique atento se o imóvel tem boa insolação e, principalmente, ventilação. Procure saber como a vizinhança se comporta com as chuvas, por exemplo. A rua alaga? Tem bom escoamento? Repare se o imóvel está ou não construído acima do nível da rua. Estes são aspectos que não podem mudar e que, no geral, podem dar dor de cabeça no futuro.

iluminação natural

foto: Zak Johnson Architects

Depois de considerar esses pontos básicos e você encontrou uma casa que se enquadra bem com suas necessidades e ainda esteja dentro do seu orçamento: ótimo. Agora, vamos à parte legal dessa história: a decoração!

Se você puder contratar ajuda profissional para essa parte, beleza. Caso não seja possível, não se desespere, você mesmo pode dar conta do mais básico.

1.Pesquise muito, muito mesmo

Compre revistas especializadas, acesse sites e blogs e descubra qual é o estilo que você mais gosta e se identifica. Lembre-se de que na decoração tudo é válido, desde que, claro, usado com bom-senso. Pesquisar, salvar referências e inspirações nunca é demais. A partir daí fica mais fácil idealizar e criar cada ambiente da sua casa.

apartamento-sala-de-tv

foto: Casa Chaucha

2. Faça uma lista com todos os móveis e objetos que você gostaria de levar para sua casa nova

Veja se há a necessidade de renovar o visual ou até consertar alguns deles. Anote em ordem de importância o que é imprescindível ter em uma casa, como eletrodomésticos, móveis para o quarto e sala, utensílios domésticos, etc. Coisas como fogão, geladeira e máquina de lavar roupa. Priorize os essenciais, pois o resto você compra – ou ganha – depois, devagar e com calma.

movel repaginado

foto: Mindi Freng Designs

Depois de definidas quais são as suas prioridades, é hora de se estabelecer um orçamento. O orçamento é importante para que você não se perca no meio do caminho. Contudo, considerando que, a essa altura, você já esteja sabendo de cor e salteado o preço de tudo: seja coerente no seu orçamento. Se você quer aquelas poltronas lindas de uma loja super cara, busque o equilíbrio orçamentário com outro móvel mais barato.

Considere suas preferências pessoais. Se você adora ver televisão, por exemplo, é melhor investir em um bom sofá ou uma poltrona confortável do que numa super mesa de jantar, por exemplo.

movel bacana

foto: Griffin Enright Architects

Lembre-se que o ideal é comprar peças que você leva para a vida toda, ou pelo menos que tenham um bom preço de revenda. É claro que nesse meio tempo tendências vêm e vão e você não precisa ignorar isso. Contudo, muita calma na hora de adquirir essas peças, pois a tendência é você se livrar delas nos próximos anos. Portanto, muitas vezes, vale adquirir peça curinga de design, mesmo que um pouco mais caras, pois nunca vão sair de moda.

3. Escolhendo a cor das paredes

Decidir que cor colocar nas paredes está diretamente ligado ao seu gosto na decoração e ao mobiliário que você já possui. Se você é uma pessoa mais clean e clássica, provavelmente partirá para tons neutros. Mas se é despojado, cheio de objetos coloridos e excêntricos, sua parede certamente terá uma cor forte e mais alegre.

colorido sutil

foto: By Fryd

A boa notícia é que pintar paredes, definitivamente, não é um problema financeiro grande, afinal de contas, é perfeitamente possível você mesmo fazer.

4. Considere o seu espaço disponível

Portanto, cuidado na hora da disposição dos móveis. E se sua casa for pequena, o ideal é optar por peças de múltiplo uso, como pufe que vira mesa de centro ou aquela cama que tem gavetas embaixo. Além disso, considere o tempo que você pretende ficar nessa casa e se vai valer a pena investir em peças sob medida. É claro que sempre existem necessidades que serão mais bem resolvidas com móveis planejados. Assim, a dica é: não gaste demais nas peças que ficarão nessa casa, caso você você tenha planos para se mudar no futuro.

espaço pequeno

foto: On My Agenda

5. Não despreze sua criatividade

Encare projetos DIY, isto é, faça você mesmo, pois deixam tudo com a sua cara e ainda são baratos de fazer!

projeto diy

foto: Kelly Edwards

Compartilhe com um amigo